//Vídeos

“Sempre quis desafiar os dogmas consolidados pelo tropicalismo!”

Criado pelo baixista Munha, grupo de música instrumental mescla influências de Mahler, bossa nova e rock

Da cabeça e das inquietações do baixista e compositor Munha nasceu o Satanique Samba Trio. O nome do grupo é uma rasteira no ouvinte, já que é um quinteto de música experimental que pretende assimilar o maior número possível de elementos estéticos indigestos. “Estudei bastante e consigo enxergar os pontos fracos da música que quero contestar”, afirma Munha em relação à MPB e ao tropicalismo. “Mantenho um pé no tradicional e o resto do corpo em elementos proibidos para a música comercial”, conclui. Gustav Mahler, Karlheinz Stockhausen e Pierre Henry, além de jazz fusion, bossa nova, rock e música erudita contemporânea moldam a sonoridade do grupo, que tem quatro trabalhos gravados: o EP Misantropicalia (2004) e os CDs Sangrou (2007), Bad Trip Simulator #2 (2010) e Bad Trip Simulator #1 (2011). Em 2008, como um dos selecionados do Rumos Música – Mapeamento, o Satanique se apresentou no auditório do Itaú Cultural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. “Eu queria ser Jamelão”

    Áurea Martins conta sua história para a seção +70

  2. “Benditos sejam os malditos! Gravou?”

    Jards Macalé conta sua história para a seção +70

  3. Zé Menezes: “Tocador de violão não tinha valor nenhum”

    Músico cearense relembra a Rádio Nacional, as orquestras e Garoto

  4. “Elvis tinha uma voz quadrada. Mas tinha ritmo”

    Cauby Peixoto revê sua carreira, suas influências e alguns de seus sucessos

  5. Daniella Gramani + Fabricio Conde + Muepetmo

    Voz, viola e eletrônica em busca de um caminho comum

  6. Cadê o Ovo, por Mujangué

    Quinteto formado pelo Rumos Coletivo canta "Cadê o ovo, mamãe, que a galinha botou?!"

  7. Ricardo Herz e Samuca do Acordeon

    Duo de violino e acordeom interpreta a autoral "Novos Rumos"

  8. Improvisação, por Trio Darisbo, Siqueira e Loop B

    Sucata, piano, guitarra e flauta são os suportes para a criatividade deste trio surgido no Rumos Coletivo

  9. Petit Bal Perdu, por Vocoralia Quarteto

    Grupo criado a partir do Rumos Coletivo interpreta composição de Bourvil

    1. Samba de Coco Raízes de Arcoverde

      Grupo pernambucano criado em 1992 reúne três famílias que dançam e cantam o coco

    2. Mestres da Guitarrada: lambada e carimbó

      Grupo resgata 30 anos da formação instrumental paraense, pelas mãos de Mestre Vieira, Aldo Sena e Mestre Curica

    3. Espumas ao Vento, por Elza Soares

      Da trilha sonora de Lisbela e o Prisioneiro, música de Accioly Neto ganha versão a cappella

    4. Blackbird, por Carlos Amaral e Renato Savassi

      Um dos clássicos de Lennon & McCartney em versão voz-viola-flauta

    5. “Sim, Senhor”, por Carlos Amaral e Renato Savassi

      Um dos grupos formados pelo Rumos Coletivo, de 2012

    6. Serena, Serena, por Chico Correa & Eletronic Band

      Músico paraibano funde ritmos nordestinos tradicionais, como o coco, com música eletrônica

    7. “Futebol no Inferno”, por Cadê Dona Maria?

      Cordel do poeta-repórter José Soares ganha releitura do grupo do rabequeiro Di Freitas

    8. Régis Duprat: “Rogério se transformou em uma bandeira”

      Apresentação dos programas de rádio da série Estéreo Saci dedicados ao maestro Rogério Duprat

    9. Zé Menezes: “Tocador de violão não tinha valor nenhum”

      Músico cearense relembra a Rádio Nacional, as orquestras e Garoto

    10. Ricardo Herz e Samuca do Acordeon

      Duo de violino e acordeom interpreta a autoral "Novos Rumos"