//seções//tô assobiando

Jazz, country e soul

Discos clássicos de Stevie Wonder e uma banda de jazz australiana são algumas das dicas do músico Muepetmo

texto Itamar Dantas

O multi-instrumentista Muepetmo (e.) e um de seus ídolos, o músico norte-americano Stevie Wonder. Fotos: divulgação

Muepetmo é músico, compositor e engenheiro de áudio pela SAE, Institute Audio Engineering, localizada em Amsterdã, Holanda. Multi-instrumentista com foco nas sonoridades eletrônicas, recentemente o músico foi selecionado pelo programa Rumos Música Coletivo e, no dia 28 de julho, se apresentou ao lado de Daniella Gramani (voz e rabeca) e do violeiro Fabrício Conde no auditório do Itaú Cultural, em São Paulo.

Para a seção Tô Assobiando, Muepetmo listou algumas bandas que gosta, passeando entre o jazz, o country e o soul de Stevie Wonder.

[ BANDA ] Triosk 
A melhor dica que eu tenho é uma banda australiana que se chama Triosk. Esses caras eram da pesada. Era um trio de jazz com bateria, piano e baixo que quebrava tudo. O equipamento do baterista era todo especial, e ele sampleava ao vivo. Eles faziam uma música contemporânea com pegada de jazz realmente muito boa. A banda, que se separou em 2007, lançou três discos na carreira: 1+3+1 (2003); Moment Returns (2004); e The Headlight Serenade (2006).

[ CANTOR ] Willie Nelson
Eu gosto muito de country music. Ouço bastante o Willie Nelson, que, além de ser um grande compositor, é um grande intérprete. Destaco uma música, “Stella Blue”, versão do Grateful Dead que ele gravou no disco Songbird, de 2006.

[ LUGAR ] Melkweg (Amsterdã – Holanda)
Melkweg é uma casa de shows localizada em Amsterdã, Holanda. Quem for lá, tem de conhecer! É um armazém administrado por uma ONG desde os anos 1970, onde sempre tem bons shows. Vi um show do Willie Nelson lá, inclusive.

[ DISCOS ] Stevie Wonder
O Parteum [rapper paulistano] me apresentou os quatro discos do Stevie Wonder feitos com o Tonto’s [Tonto's Expanding Head Band], aqueles caras que construíram o maior sintetizador do mundo [Malcolm Cecil e Robert Margouleff fabricaram o Sintetizador Tonto, a partir de 1971]. Os quatro discos desse período são Music of My Mind (1972), Talking Book (1972), Innervisions (1973), Fulfillingness’ First Finale (1974). Esses discos mudaram a minha vida. As harmonias são impressionantes.

  1. muito bom o post

    | Valdemir

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. De Emicida a Femi Kuti

    Dicas do rapper Rael vão do novo disco do parceiro Emicida ao afrobeat de Femi Kuti

  2. Assassinato, política, cerveja

    Dicas de João Cavalcanti, do Casuarina, vão da série de TV House of Cards ao livro Indefensável

  3. As indicações de Renata Rosa

    A cantora, compositora e rabequeira dá dicas do que ler, ouvir, assistir e visitar

  4. Muito além dos gêneros musicais

    Para o compositor e instrumentista Antonio Loureiro, a música não deve "parar no pedágio da generalização"

  5. Três notas de Lurdez da Luz

    Entre as indicações da MC paulistana está o documentário Tropicália, sobre o movimento musical do fim dos anos 1960

  6. De Brasília a Drummond

    Hamilton de Holanda, Renato Braz e Herminio Bello de Carvalho são as sugestões da radialista Lia Machado Alvim

  7. Do Pará a Berlim

    O cantor e compositor Felipe Cordeiro indica um filme, uma música e uma cidade

  8. Bom Retiro a Lisboa

    Susana Travassos e Chico Saraiva gravaram o álbum Tejo-Tietê. Confira 5 dicas do artista

  9. De Elza Soares a Seinfeld

    Dicas do jornalista Dafne Sampaio têm música, websérie e poema

  10. De Hilda Hilst a Jane Campion

    Dicas do DJ Zé Pedro incluem disco, livro, filme e série de TV

  11. Bahia, samba e baião de dois

    Dicas de Cacá Machado vão do samba real de Rodrigo Campos ao ficcional de Paulo Lins

    1. Rumos Música Coletivo: Daniella Gramani, Fabrício Conde, Muepetmo

      Viola, vocalise e rabeca dão vida a uma das músicas do ensaio do trio. Supervisão do rapper Parteum

    2. Itamar Vidal e Vanja Ferreira

      O quarto ensaio do duo formado pelo clarinetista e harpista

    3. “De Mão em Mão”, por Qu4trilho

      Grupo surgido pelo edital Rumos Música Coletivo reuniu artistas de Brasília, Sorocaba, Porto Alegre e Campinas

    4. Rumos Música Coletivo: Cadê Dona Maria?

      Ensaio do grupo formado de rabecão, guitarra, percussão e vozes, com participação de Dona Maria do Horto

    5. “A camareira falou que estava gostando da música”

      Ensaio do violeiro Carlos Amaral e do flautista Renato Savassi, selecionados Rumos Coletivo

    6. Vocoralia Quarteto – terceiro capítulo

      Grupo formado de selecionados do Rumos Coletivo, que inclui Silvério Pessoa e Ligiana, ensaia na capital gaúcha

    7. “Sim, Senhor”, por Carlos Amaral e Renato Savassi

      Um dos grupos formados pelo Rumos Coletivo, de 2012

    8. “Futebol no Inferno”, por Cadê Dona Maria?

      Cordel do poeta-repórter José Soares ganha releitura do grupo do rabequeiro Di Freitas

    9. “Donzela Teodora”, por Vanja Ferreira e Itamar Vidal

      Duo de harpa e clarinete é uma das formações surgidas no Rumos Música Coletivo

    10. “Canção de Sousândrade”, por Vocoralia Quarteto

      Com vocais de Ligiana e Silvério Pessoa, grupo interpreta música de Celso Araújo

      1. Tom Capone

        As bandas, os discos e os prêmios do principal produtor brasileiro de música pop. Narração de Parteum