//seções//faixa bônus

Fome de geografia

Roteirista do filme Baile Perfumado, de Lírio Ferreira, revê o cenário musical de Olinda e Recife nos anos 1980 e 1990

texto Hilton Lacerda

Chico Science & Nação Zumbi. Foto: divulgação

# Publicado originalmente em 2010 no Fanzine Ocupação Chico Science.

A cidade de Olinda fica na região metropolitana do Recife. De tão próximas, podemos dizer tratar-se de uma cidade dentro da outra. Com Jaboatão dos Guararapes não é diferente. A primeira fica ao norte do Recife, e a segunda, ao sul. O mar transforma as três cidades em um lugar único.

E foi em Olinda, em 1991, que assisti à primeira apresentação da banda Chico Science & Lamento Negro (depois transformada em Nação Zumbi). O bar chamava-se Oásis – nome muito apropriado. E o show abria para o Mundo Livre S/A (Fred Zeroquatro como líder). Naquele momento, na prática, o movimento mangue se tornava público (público pequeno e interessante).

Essa identificação é importante para mim por ter dado a largada a uma frente de ataque cultural bastante representativa dos anos 1990 no Brasil (e seus ecos ainda influenciam a cultura contemporânea).

Mas antes disso os caranguejos já estavam soltos. As tramas existiam. Desde o início dos anos 1980, o “Rato” (apelido de Fred Montenegro – mais tarde Zeroquatro) já estava colocando sua imaginação efervescente a serviço de uma mudnaça mais radical na cultura oficial de Pernambuco, dominada pelos excessos tradicionalistas do movimento armorial. A Mundo Livre S/A já embalava, desde 1984, uma pequena fauna de fãs. Pessoas que estavam por trás daquele cenário magrinho, necessitando de vitaminas para engordar.

Eram anos de muito pouco dinheiro. A informação era rasa, curta e conformada. E era nesse cenário que Fred ensaiava sua mistura explosiva de mensagem cerebral ararquicamente construída em parceria com uma busca incessante de conceitos populares. A periferia estava onde sempre esteve, mas mandava seu recado ainda sem canal. Mas o canal estava chegando. E a ideia do mangue como símbolo de diversidade já estava em andamento.

>> OUÇA A PLAYLIST ESPECIAL MANGUEBEAT

Tocando o terror

No fim dos anos 1980, Recife centraliza o encontro entre os mundos de Jaboatão dos guararapes e de Olinda. Várias pessoas participam desse momento. Chico (com o Orla Orbe e o Loustal) e Fred (sempre Mundo Livre S/A) se encontram. Um vinha com sua herança da black music e do hip hop (junto com seus companheiros Jorge du Peixe, Lúcio Maia, Dengue e DJ Aranha). Do outro lado, a herança anarcossambista e punk rock dos Montenegros e seus seguidores. O caldo prncipia a engrossar. E aí, num cenário bem diferente, os caranguejos começam a esboçar um cérebro.

O início dos anos 1990 trazia uma ressaca sem proporções. Uma eleição (o primeiro pleito direto para presidente desde o golpe militar de 1964) tinha levado ao poder o que considerávamos – pelo menos assim acredito – a parte mais conservadora de nossa política. Mas o que parecia danoso serviu de alimento, a vitamina que faltava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. Stereotipado

    Apropriação e subversão do estereótipo pela vítima: de Gonzagão a Chico Science

  2. Nação Zumbi lança DVD, CD e LP em março

    Projeto registra o encerramento da turnê Fome de Tudo, 4º disco de estúdio pós-Chico Science

  3. Morre no RJ Nelson Jacobina

    O músico tinha 58 anos e estava internado desde domingo, 27, na UTI do hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, devido a um câncer

  4. “A improvisação está mais para o circo do que para a música”

    Júnior Areia, baixista da Mundo Livre S/A, fala sobre seu disco solo Para Perdedores

  5. Correção de rota

    Membro da Orq. Contemporânea de Olinda, Juliano Holanda lança primeiro CD

  6. Pop com DNA manguebeat

    Vinte anos depois da estreia em disco, Nação Zumbi lança seu oitavo trabalho

  7. Rios, pontes e redes de significados

    O mangue é o símbolo do (re)nascimento pop de Olinda e Recife

  8. Carne de panela à Miranda

    Como jurado do programa Astros, Carlos Eduardo Miranda jamais diria não à obra-prima de sua mãe

      1. Especial Manguebeat

        Bandas que renovaram o pop brasileiro dos anos 1990, como Mundo Livre S/A/ (f.), Mestre Ambrósio, Cascabulho, e Chico Science e Nação Zumbi