//seções//notas

Tatá Aeroplano lança segundo álbum

Músico explora o amor entre a loucura e a lucidez

texto Itamar Dantas

Da esquerda para a direita.: DJ Marco, Dustan Gallas, Bruno Buarque, Júnior Boca e Tatá Aeroplano. Foto: divulgação

Tatá Aeroplano lança o segundo álbum, Na Loucura & na Lucidez, gravado ao vivo em estúdio e rodeado pelos amigos que o acompanham desde sua primeira empreitada solo, lançada em 2012. O grupo, formado por Tatá, DJ Marco, Dustan Gallas, Bruno Buarque e Júnior Boca, se reuniu no estúdio Minduca, em São Paulo, e registrou canções que versam basicamente sobre o amor, segundo o compositor.

Todas as canções foram interpretadas praticamente ao vivo, sem muitas interferências na pós-produção. A primeira sessão de gravação está representada na canção “Na Loucura”, que trata do fim de um relacionamento. “As pessoas sofrem quando tomam um pé na bunda. E sofrem quando não amam mais aquela pessoa que ela amou”, conta o cantor. Também a lucidez trazida no título do disco está relacionada ao amor, mas revela outro momento das relações amorosas. “ ‘Na Lucidez’ é outro tipo de loucura; quando se sente um amor inteiro dentro da pessoa. É um disco de amor.”, confessa o líder das bandas Cérebro Eletrônico e Jumbo Elektro.

O álbum ainda conta com uma história curiosa: uma das músicas foi composta por meio de um contato feito pela fanpage de Tatá. Alan Brasileiro enviou a letra pela rede social e Tatá musicou, de uma levada só. “Quando comecei a reunir material para entrar em estúdio, eu me deparei com uma canção que me tocou profundamente, era do início de 2013, mas não lembrava de quem era a letra, tinha certeza que não era minha. Passei uma semana tentando encontrar o autor, pensei que fosse de um amigo próximo, mas não era. Fiz pesquisas de todos os tipos pela net e não achei nada, mandei a música para os amigos parceiros e nada também. Foi então que encontrei uma mensagem recebida na minha fanpage de um rapaz chamado Alan Brasileiro. Ele tinha me enviado a letra no dia 5 de janeiro de 2013. Lá pelo dia 10, quando voltei de viagem, vi a letra em frente ao computador, estava com o violão no colo, pintou inspiração e gravei. Foi um presente e tanto para mim.”

Tatá cita entre suas influências nomes da literatura, como Bukowski, e também da canção, como Caetano Veloso, Raul Seixas e Júpiter Maçã. Com relação ao álbum, o músico ainda destaca o trabalho coletivo de criação dos arranjos. “No primeiro disco já rolou uma sintonia muito grande. Tinha a experiência de ter feito uma série de shows. É uma banda que dá um tesão de ensaiar. O show de lançamento vai ser muito massa, é muito legal poder fazer”. O lançamento está agendado para o dia 13 de agosto, no Sesc Vila Mariana, em São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. “Deixamos a música nos levar”

    Composição coletiva marca quarto álbum da banda Cérebro Eletrônico

  2. Bazar Pamplona divulga novo clipe

    Vídeo de “Todo Futuro é Fabuloso” mostra integrantes em uma viagem espacial

  3. Como a canção acontece

    Vocalista da Trupe Chá de Boldo, Gustavo Galo lança primeiro álbum individual cercado de amigos