//seções//notas

Sons pelo espaço

Projeto DJ Residente, do MAM, tem compilação lançada na internet

texto Itamar Dantas

Músicos se apresentam no MAM no lançamento do projeto, realizado no dia 26 de janeiro, em SP. Foto: divulgação

Preencher um ambiente com paisagens sonoras, música e ruídos. Essa foi a proposta do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP) quando convidou um grupo de jovens músicos para ambientar suas salas de exposição no decorrer de 2012. O projeto foi dividido em quatro etapas. Em cada uma delas, as exposições do museu se alternavam e os músicos produziam novas trilhas, o que resultou em mais de oito horas e meia de composições inéditas.

Com curadoria do Circuito Fora do Eixo e coordenado por Jovem Palerosi, o projeto DJ Residente contou com a participação de 13 músicos, produtores e DJs que buscaram produzir experiências sonoras que dialogassem com as exposições e proporcionassem novas vivências aos visitantes do museu. “A gente tentava entrar no universo dos artistas, mas mantendo certa autonomia, para não ficar literal demais. Como lidamos com o espaço, com uma disposição mais ampla das caixas, buscamos explorar certos aspectos dos locais. Trabalhamos, por exemplo, com sons se complementando em lugares diferentes da sala ou se repetindo”, conta Palerosi.

Assim, produziram trilhas inspiradas tanto nas obras de Goeldi e na coleção Tamagni como também para o banheiro, os corredores, a loja e para encontros gastronômicos realizados no museu. Uma parcela dessa produção pode ser conferida em dois álbuns que são agora lançados on-line. O primeiro, chamado Concreto Etéreo, reúne as composições que têm estrutura mais musical, com beats sequenciados e grooves. Já o segundo, Retrato Abstrato, concentra-se nas experimentações de paisagem sonora propriamente ditas. Palerosi conta como fez a escolha do repertório, em meio às quase nove horas de gravação de que dispunha. “Quando fui compilar os sons para os álbuns, resolvi dar um fluxo mais contínuo às obras, deixando os sons que eram mais próximos de músicas em um disco, e os outros mais relacionados à paisagem sonora no outro, para dar mais fluidez à audição.”

Em um segundo momento, o grupo vai lançar samples de seus experimentos sob a licença Creative Commons e disponibilizar on-line no site Overmixter para intervenção de outros músicos. O álbum pode ser baixado no site do MAM.

Abaixo, os dois álbuns para audição.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. A alegria e a melancolia do mar

    Em segundo álbum, Silva caminha para um universo mais pop

  2. “New Order e Joy Division revolucionaram!”

    O baixista inglês Peter Hook fala da herança das bandas que integrou

  3. O mundo numa picape

    Alfredo Bello compartilha suas experiências de música da África ao Oriente Médio

  4. “Música Eletrônica”, de Jorge Antunes, será relançado

    Disco de Jorge Antunes lançado em 1975 será relançado pelo selo Guerssen Records

      1. Disco Brasil

        O som das pistas dos anos 1970 e 1980: Rita Lee, Lady Zu, Ronaldo Resedá, Jerry Adriani, Marisa Monte e Dudu França