//seções//notas

Ícone da música caipira, Tinoco morre aos 91 anos

Em hospital no bairro da Mooca, em SP, músico teve insuficiência respiratória e não resistiu

texto Patrícia Colombo

José Perez, cantor sertanejo popularmente conhecido como Tinoco, morreu aos 91 anos na madrugada desta sexta-feira (4) no Hospital Municipal Ignácio de Proença de Gouvêa, no bairro da Mooca, em São Paulo. As informações são do site G1. Segundo o veículo, com dados da Secretaria Municipal de Saúde, Tinoco deu entrada no hospital na noite de quinta-feira (3) com insuficiência respiratória e morreu à 1h42.

Nascido em Pratânia, no interior de São Paulo, em novembro de 1920, formou com o irmão João Salvador Perez a dupla Tonico e Tinoco. Na lista dos mais importantes nomes da música brasileira, deram início à carreira em 1935, vendendo, ao longo de sua trajetória artística, mais de 150 milhões de cópias dos 83 álbuns lançados. Tonico morreu em agosto de 1994.

Em 2010, ao completar 90 anos e 75 de carreira, Tinoco foi homenageado por Roberto Carlos, amigo e fã do trabalho da dupla, no especial da Rede Globo Emoções Sertanejas. Entre as canções mais famosas de Tonico e Tinoco estão “Tristeza de Jeca”, “O Menino da Porteira”, “Chico Mineiro” e “Moreninha Linda”. Ouça abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. Quatro notas de Ricardo Vignini

    Violeiro especializado em adaptar clássicos do rock and roll dá dicas de livro, disco e lugares

  2. Herdeiros do rock rural

    Banda Matuto Moderno lança quinto álbum em show no Auditório Ibirapuera

  3. Coletânea revisita obra de Déa Trancoso

    Álbum é parte das comemorações de 25 anos de carreira e passeia pelos quatro discos da cantora, com música inédita

  4. A moda e o comportamento na jovem guarda

    Roberto Carlos tenta impedir circulação de livro com foco na jovem guarda

  5. “Somos caçadores de sonhos perdidos”

    Zero Freitas conta histórias de sua coleção de 5 milhões de discos

  6. Eram duas caveiras que se amavam!

    Novela pós-mortem lançada originalmente em 1940 foi um dos sucessos de Alvarenga & Ranchinho

  7. Pavê de bolacha de maisena à Paulo Freire

    Ele já travou aventuras com sacis, mas só deixa a viola por um doce de bolachas feito pela mãe

  8. Moda de viola com requeijão e goiabada

    Para fugir da mesmice da mídia, Roberto Corrêa defende uma demarcação cultural

  9. De Cachoeiro a Belenzinho

    A dupla vida de Raul Nazário, cover do Rei Roberto Carlos

  10. Fala aí, meu camarada!

    De Machado de Assis a Mussum, de Norte a Sul, a língua portuguesa segue viva e mutante

    1. Giane: “O sucesso de Dominique nunca me incomodou”

      Êxito da Voz Doçura impediu que Roberto Carlos ficasse em 1º lugar nas paradas no início dos anos 1960

      1. Roberto Corrêa: “Cornélio Pires foi o primeiro a gravar música independente”

        Físico de formação e violeiro por opção conta histórias de seus discos e da música caipira

      2. Mazzaropi, crooner da roça

        Homenagem ao ator e humorista por meio das músicas de seus filmes, como as de O Vendedor de Linguiça

      3. Violas marrudas

        Ricardo Vignini sugere modas de viola de Tião Carreiro e Pardinho, Índio Cachoeira, Ivan Vilela e Renato Andrade

      4. Entre reis

        Em sua oitava edição, programa percorre sugestões do público, de Roberto Carlos a Frank Sinatra

      5. Original & Inigualável

        Playlist de 13 músicas reúne duplas como Marechal e Rondon, Faísca e Pinga Fogo, Polyglota e Porta-Voz

      6. Sons que fizeram o som de Os Mulheres Negras

        De la Soul, Tonico e Tinoco, Hermeto Pascoal e Paulo Moura estão na lista de Mauricio Pereira e André Abujamra