//seções//notas

Hurtmold e Paulo Santos lançam álbum “Curado”

Grupo paulistano de música instrumental sela com disco parceria de oito anos com músico mineiro

texto Itamar Dantas

Grupo Hurtmold e Paulo Santos (dir.). Foto: divulgação/Alexandre Nunis

Foi em 2008 que a banda paulistana Hurtmold e o músico mineiro Paulo Santos se encontraram no palco pela primeira vez. A reunião de estreia aconteceu durante o festival Eletronika, em Belo Horizonte (MG). Ali teve início uma amizade que se estende até hoje, com o lançamento do álbum Curado (Selo Sesc), no qual é apresentada a interseção da sonoridade elétrica da Hurtmold com os instrumentos musicais construídos por Paulo.

Criado em 1998, o grupo Hurtmold traz uma música apoiada na cozinha roqueira de guitarra, bateria, sintetizadores e baixo com a sonoridade de marimbas, vibrafones e percussão. Paulo Santos, por sua vez, apresenta os timbres dos instrumentos que construiu ao longo dos anos e que demarcam sua experiência de 37 anos com o Uakti, grupo mineiro que encerrou as atividades em 2015. Para o disco, Paulo traz a darbuka, o saxtubo, cacho de PVC, trimi, berimcéu, kalimba elétrica, flauta de PVC, tubo em lã, erhu e uma flauta de bambu.

Sétimo disco da Hurtmold, o primeiro trabalho com o músico mineiro apresenta composições que começaram a ser feitas por ambos os lados. “07:30 Olha o Queijo” é uma das músicas compostas por Paulo Santos e enviadas para que o grupo paulista usasse de base para sua criação. O nome é uma brincadeira do mineiro com um lembrete de celular sobre uma viagem ao encontro do grupo. “Fui embarcar para São Paulo para um show e coloquei o despertador para tocar às 7h30, com o lembrete ‘Olha o queijo’, para não esquecer do presente que levaria a eles.”

Em “Pastel de Pixo”, os músicos da Hurtmold enviaram o material com base no qual Paulo criou um solo com seu sax tubo, em consonância com a proposta psicodélica. “É impressionante ver como o Paulinho entrou totalmente no nosso ritmo”, diz Mauricio Takara, baterista do grupo. “Trabalhamos como se fosse uma banda normal, ficamos muito amigos nestes anos. Acima da conexão artística musical – e fazer uma música sempre tão sem precedentes –, o que importa mais na hora de criar, o que pesa mais é a relação humana. Se não tiver uma conexão forte humana, não funciona.”

Além de Mauricio (bateria, percussão, vibrafone e guitarra), a Hurtmold é formada por Guilherme Granado (teclado, vibrafone e percussão), Marcos Gerez (baixo e sintetizador), Mario Cappi (guitarra) e Rogério Martins (percussão, clarinete, clarone e teclado). Já Paulo Santos é multi-instrumentista e criador de instrumentos musicais. O álbum Curado foi gravado entre os meses de fevereiro e abril de 2016 no estúdio El Rocha, em São Paulo (SP), e é um lançamento do Selo Sesc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. Música clássica para todos

    “Temos que mostrar para as novas gerações que é possível escutar sem cair no tédio”, diz o clarinetista belga

  2. Em SP, Néctar do Groove antecipa seu segundo CD

    Banda apresentou seu jazz nordestino no Instrumental Sesc Brasil

  3. “Villa-Lobos é o pai da música brasileira contemporânea!”

    Mario Adnet comenta seu novo álbum, dedicado à obra do autor de "Trenzinho do Caipira"

  4. Ôctôctô do outro lado do Atlântico

    Saxofonista Luís Málaga comenta a experiência do grupo na Europa

  5. Vitor Araújo: “Eu me desespero com o (disco) independente”

    Ouça o segundo álbum do pianista pernambucano

  6. Musicalidade fluida com profundidade ancestral

    André Ricardo, do Höröyá, fala da interseção cultural entre Brasil e África promovida pelo grupo

  7. “A improvisação está mais para o circo do que para a música”

    Júnior Areia, baixista da Mundo Livre S/A, fala sobre seu disco solo Para Perdedores

  8. “A gente pode fazer muita coisa pelo mundo afora”

    Guinga e Esperanza Spalding falam do 1º show conjunto

  9. “Ser compositor de música erudita no Brasil é muito difícil”

    Criar a partir da união do folclore com a música clássica é a missão do maestro Yves Rudner Schmidt

  10. Imperfeições à Guinga

    Compositor carioca comenta seu primeiro álbum gravado somente com voz e violão

    1. “Sempre quis desafiar os dogmas consolidados pelo tropicalismo!”

      Criado pelo baixista Munha, grupo de música instrumental mescla influências de Mahler, bossa nova e rock

    2. Ricardo Herz e Samuca do Acordeon

      Duo de violino e acordeom interpreta a autoral "Novos Rumos"

    3. Zé Menezes: “Tocador de violão não tinha valor nenhum”

      Músico cearense relembra a Rádio Nacional, as orquestras e Garoto

    4. Mistura e Manda, por Banda Pequi

      Choro que batiza disco de 1983 de Paulo Moura ganha versão de big band pelo grupo goiano

    5. Vovô Manuel, por Banda Mantiqueira

      Música foi lançada originalmente no CD Terra Amantiquira, de 2006

      1. “O diferencial do Paulinho Nogueira eram os acordes”

        Ele começou sua carreira como desenhista de publicidade e, anos depois, assumiu o violão profissionalmente. Juju Nogueira recorda a trajetória do pai

      2. Série Instrumento: Violão

        Seleção lista interpretações de Dilermando Reis, Rosinha de Valença, Vera Brasil, Geraldo Vespar e Sebastião Tapajós

      3. Série Instrumento: Baixo

        Playlist reúne os titulares do ritmo Luizão Maia, Luiz Chaves, Liminha, Jamil Joanes e Arthur Maia

      4. Série Instrumento: Bateria

        Com os craques do ritmo João Barone, Milton Banana, Edison Machado, Zé Eduardo Nazário, Nenê e Chico Batera

      5. Sons que fizeram o som do Duofel

        Genesis, Los Indios Tabajaras, Pink Floyd e Baden Powell estão na lista de Luiz Bueno e Fernando Mello

      6. Hector Costita homenageia Astor Piazzolla

        Em show no Auditório Ibirapuera, músico argentino revê carreira e homenageia o renovador do tango

      7. Sem bandleader

        O rock instrumental brasileiro, de Os Incríveis a Pata de Elefante e Macaco Bong

      8. Hermeto Pascoal no Auditório Ibirapuera

        Hermeto Pascoal e Grupo realizaram apresentação recheada de improvisações

      9. A música de Paulinho da Viola pela Escola do Auditório Ibirapuera

        Cinco formações da Escola interpretaram músicas do sambista e de outros artistas brasileiros

      10. Especial Jacob do Bandolim

        A carreira de um dos instrumentistas mais originais surgidos no Brasil. Por Carlos Careqa