//seções//notas

As vozes de Péricles

Arrigo, Luisa Maita, Lurdez da Luz, Jeneci e outros cantam em novo álbum de Péricles Cavalcanti

texto Itamar Dantas

Péricles Cavalcanti e a capa de seu novo álbum, Frevox. Fotos: divulgação

No reggae “Entre Muitos Outros”, Péricles Cavalcanti faz uma brincadeira com seu nome e o do produtor jamaicano Lee Scratch Perry, definindo-se como um entre muitos outros Péricles por aí. Para além das ironias entre ser ninguém e ser deus em um mesmo trabalho, Péricles também amplia seu universo criativo ao abordar personagens do mundo pop à mitologia grega. A faixa de despedida de seu novo álbum, Frevox, reforça essa multiplicidade em versos como “Eu sou Dionísio, deus do vinho e do prazer…”.

A produção do disco teve início em 2010, mas o resultado somente foi apresentado no final de 2013. Com 18 canções, o álbum conta com 16 inéditas, várias delas compostas já com o objetivo de chamar algum parceiro para interpretá-la com o compositor.

Quatro canções mostram apenas a voz de Cavalcanti, em um disco que ele chama de “pregão pop”. Em Frevox, ele canta com Arrigo Barnabé, Luisa Maita, Lucinha Turnbull, Lurdez da Luz, Marcelo Jeneci, Rodrigo Campos e Romulo Fróes, além do filho, também músico, Leo Cavalcanti. Tulipa Ruiz, antes mesmo de lançar o primeiro álbum, em 2010, já gravava “De Alma e de Som” ao lado do músico.

Das duas músicas não inéditas que compõem o álbum está “O Céu e o Som”, canção registrada por Gal Costa no seu álbum Cantar, de 1974. “Eu fiz essa música pensando em uma coisa cubana. O João Donato seria o arranjador [dessa gravação da Gal]. E o João Donato é mestre na música latina, já tocou com Mongo Santamaria… Acabou que não foi ele quem fez o arranjo; fiquei muito triste. Sempre pensei em cantá-la assim”, confessa.

A segunda não inédita é “Marcha da Baleia”, que integrou o espetáculo teatral A Farra da Terra (1982), do grupo Asdrúbal Trouxe o Trombone. Na nova versão, Lurdez da Luz acrescenta o seu “Rap da Baleia”, composta para integrar a obra. Já “Sex Maxixe” é a homenagem de Péricles a James Brown e teve a participação de Arrigo Barnabé. “Juro (Largo Tudo por Você)” é cantada com o grupo Cachorro Grande; “Bem-Vindos” foi composta para a cantora Tiê.  “É como se o disco fosse um organismo que fosse pedindo participações”, finaliza o músico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. “A Mulher do Fim do Mundo é a que vai permanecer”

    Uma das cantoras mais contundentes da atualidade, Elza Soares relembra capítulos importantes de sua carreira

  2. A Bahia metafórica de Rodrigo Campos

    Cantor e compositor paulista fala sobre seu segundo álbum, Bahia Fantástica

  3. Bahia, samba e baião de dois

    Dicas de Cacá Machado vão do samba real de Rodrigo Campos ao ficcional de Paulo Lins

  4. Thiago França e a malandragem paulistana

    Novo álbum do saxofonista homenageia conto de João Antônio: Malagueta Perus e Bacanaço

  5. De volta à manada

    Com o novo disco, Cambaco, Vicente Barreto encerra hiato de dez anos sem gravar, com novos parceiros

  6. Sociedade e poesia

    Documentário sobre a vida de Waly Salomão (dir.) é uma das dicas de Leo Cavalcanti

  7. Ro Ro por eles

    Coitadinha Bem Feito traz 17 releituras de Angela Ro Ro

  8. O tempo, o soul, o absurdo

    Rodrigo Campos dá dicas culturais para a seção Tô Assobiando

  9. A “viagem intergaláctica” de Leo Cavalcanti

    Em segundo álbum, músico busca sonoridade pop e dançante com letras inspiradas na liberdade.

  10. Três notas de Lurdez da Luz

    Entre as indicações da MC paulistana está o documentário Tropicália, sobre o movimento musical do fim dos anos 1960

    1. Rumos Música Coletivo – Mujangué

      Terceiro ensaio do grupo de Antonio Loureiro, Arismar do Espírito Santo, Chico Correa, Tiago de Moura e Zé Jarina

    2. Junio Barreto e Lirinha

      Trecho do show em que mostraram músicas dos álbuns Setembro e Lira. Com participação de Lurdez da Luz

      1. Primeiro semestre em 18 discos

        Seleção contempla Passo Torto, Edi Rock, Andreia Dias, Wilson das Neves, Guilherme Arantes e Antonio Adolfo

      2. Elza Soares em A Mulher do Fim do Mundo

        Elza Soares apresenta o álbum A Mulher do Fim do Mundo no Auditório Ibirapuera

      3. Sambando no trem

        O trem é um dos protagonistas das músicas de Moreira da Silva, Chico Buarque, Kiko Dinucci e Joyce

      4. Bocato: “Tenho um jeito meio esquisito de tocar!”

        Trombonista relembra o início da carreira, quando tocou com Elis Regina e Arrigo Barnabé, e comenta o álbum Hidrogênio

      5. Jards 70

        Todas as faces do transgressor Jards Macalé, do rock e da tropicália ao samba de breque

      6. 100 anos de amores e desilusões

        Playlist homenageia Lupicínio Rodrigues em seu centenário de nascimento