//seções//notas

Ao sabor do novo

Lenine, Itamar e Paulinho da Viola convivem ao lado de Criolo e Vitor Pirralho em novo disco de Ney Matogrosso

texto Itamar Dantas

Ney Matogrosso aposta em nova geração de compositores em seu álbum Atento aos Sinais. Foto: divulgação

O cantor Ney Matogrosso apresenta agora o resultado da turnê que está nas ruas desde fevereiro de 2013: é o seu novo álbum de estúdio, Atento aos Sinais, lançado no fim do ano. O nome deste 33o disco individual deixa nas entrelinhas sua tônica: um repertório que contempla músicas de compositores da nova geração, como também uma referência às manifestações populares que tomaram o Brasil em 2013.

A ideia original, no entanto, não era essa. O espetáculo que resulta neste disco seria uma homenagem aos “malditos” da música brasileira. Mas, quando foi montar o repertório, Ney se deparou com novos compositores e passou a agregá-los ao show. “Não foi uma coisa premeditada. Eu fiquei mais ao sabor do que se apresentava”, conta. Da ideia inicial ainda restaram duas canções de Itamar Assumpção (1949-2003): “Noite Torta” e “Isso Não Vai Ficar Assim”. Lenine, Arnaldo Antunes, Alzira Espíndola, Pedro Luís, Paulinho da Viola e Vitor Ramil completam o bloco de autores veteranos ou de antigos parceiros de Ney presente em Atento aos Sinais.

Do gaúcho Vitor Ramil, que iniciou carreira nos anos 1980, Ney Matogrosso já havia registrado a composição “Invento” no CD Beijo Bandido (2009). “Depois que eu gravei a primeira música dele, ouvi todos os seus discos e fui selecionando tudo o que gostava; separei umas cinco músicas. Dessas, eu peguei para o disco ‘A Ilusão da Casa’. ‘Astronauta Lírico’ vai só para o DVD”, revela o intérprete.

Mas é de um novo autor que vem o verso que dá nome ao álbum: Atento aos Sinais foi retirado da música “Oração”, de Dani Black. “O Dani é filho da Tetê [Espíndola] e eu o conheço desde criança. Ele sempre compôs e eu já tinha visto que ele era talentoso”, garante o músico. Da nova geração, Ney ainda convocou Criolo ao gravar “Freguês da Meia-Noite”, faixa do segundo disco do rapper paulistano, Nó na Orelha; o professor de literatura e rapper alagoano Vitor Pirralho, um dos selecionados do Rumos Música 2007-2009, está representado por “Tupi Fusão”; e o trio paulistano Zabomba, com “Pronomes”.

O DVD do show deve ser gravado até abril deste ano e reúne o repertório do disco acrescido de algumas novidades ‒  “Poema”, de Cazuza, e “Ex-Amor”, de Martinho da Vila, que o cantor gravou para o projeto Sambabook, do artista da Vila Isabel. “As pessoas estavam reclamando que o show estava um pouco pequeno. Eu também senti isso, então acrescentei algumas outras canções.”

Ney apresenta o show Atento aos Sinais em São Paulo entre os dias 16 e 19 de janeiro, no Sesc Vila Mariana. Para mais informações, acesse o site da instituição.

  1. Nem sei se há espaço para comentários pois, os trabalhos do Ney são feitos para: ouvir, sentir, curtir se sentir bem, feliz e aplaudir, aplaudir muuuuito e em pé.
    Ney, como sempre o úúúnicoooooooo. Parabéns e abrigada por mais uma Bela Obra de Arte/Viva.
    Solange Silveira Silva Barros
    Embu Guaçu/ Cipó – Brasil

    | Solange Silveira Silva Barros
  2. É um artista completo,cantor,ator…

    | leda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. Crowdfunding viabiliza novo disco de Vitor Ramil

    “Penso que funciona porque há uma combinação natural entre negócio justo e convicção ideológica”, afirma músico gaúcho

  2. Muito mais que um palco

    Um Delírio de Porão traz imagens e textos com história do Teatro Lira Paulistana

  3. “A garotada ainda vai redescobrir o CD”

    Idealizador do selo Discobertas, Marcelo Fróes fala de seu trabalho ao Álbum

  4. O lado cancionista de Paulo Leminski

    Livro Toda Poesia lança holofotes sobre a música do poeta curitibano

  5. “Quem quer ser roadie aí?”

    A história de vida do ex-estoquista de farmácia que virou técnico de palco de Naná Vasconcelos e cantor

  6. Martinho da Vila em áudio, vídeo e partituras

    SambaBook celebra o bamba em plataformas multimídia

  7. Música de SP revista por Careqa e convidados

    CD Ladeira da Memória traz novas versões para músicas paulistanas dos anos 1980 e 1990

  8. A Bahia metafórica de Rodrigo Campos

    Cantor e compositor paulista fala sobre seu segundo álbum, Bahia Fantástica

  9. Educação pelo hip-hop

    No Brasil, o ativista e educador Moises Lopez fala da importância do gênero para a educação

  10. Documentário sobre Vanguarda Paulista é destaque no In-Edit

    Longa-metragem conta a história do local que nos anos 1980 deu espaço a nomes como Itamar Assumpção e Titãs

      1. Os malditos também sambam

        Abre-alas que Macalé, Itamar, Walter Franco, Mautner, Sérgio Sampaio e Tom Zé querem passar

      2. Gero Camilo: “Aguardei a coragem para assumir meu lado musical”

        Ator fala de suas influências musicais, como a Tropicália e o Pessoal do Ceará, e apresenta seu CD Canções de Invento

      3. Brega? Pop? Cult? Kitsch!

        Seleção musical com Céu, Marisa Monte, Criolo, Filipe Catto, Peri Pane, Karina Buhr, Lucas Santanna e outros

      4. Jards 70

        Todas as faces do transgressor Jards Macalé, do rock e da tropicália ao samba de breque

      5. Mês do Cachorro Louco

        Playlist reúne homenagens da música brasileira ao melhor amigo do homem

      6. Maysa, Pato Fu e Conversa Ribeira

        Sexto programa de Zuza Homem de Mello traz vanguarda paulista e Milton Nascimento revistos por novos nomes da MPB

      7. Trava-línguas e algumas emboladas

        Com Carmen Miranda, Jararaca e Ratinho, Alceu Valença e outros velocistas vocais

      8. O berimbau, a percussão e a voz de Naná Vasconcelos

        Playlist contempla trabalhos de autoria de Naná Vasconcelos e suas contribuições nos trabalhos de amigos