//seções//notas

Amor entre Pará e SP

Natália Matos lança o seu primeiro disco

texto Itamar Dantas

Natália Matos lança primeiro álbum, com participação de Zeca Baleiro e Felipe Cordeiro, entre outros. Foto: divulgação

Natália Matos acaba de lançar o primeiro álbum, homônimo. Com produção de Guilherme Kastrup, o disco conta com a participação de Zeca Baleiro, Felipe Cordeiro, Dona Onete, Ronaldo Silva, Iva Rothe e Romulo Fróes.

Natália é natural de Belém e mora há oito anos em São Paulo. E foi por aqui que o desejo de se tornar cantora ganhou força. Arquiteta, já atuando na profissão, foi trabalhando em uma exposição em comemoração dos 30 anos de morte de Elis Regina (1945-1982) que resolveu que ia soltar a voz. “Pedi demissão. E, como os holofotes estão voltados lá pra Belém, as coisas acontecem um pouco mais rápido. Neste mesmo ano, a Natura abriu um edital para o Pará. Eu me inscrevi, passei e veio de mãos beijadas o primeiro disco”, conta Natália.

Ao selecionar as canções que comporiam seu álbum, a cantora explorou os dois universos que a formaram, São Paulo e Belém. O carimbó, o brega e o boi se misturaram às novas referências do universo independente paulistano e nessa miscelânea foi escolhido o repertório. Para a tarefa de criar a atmosfera sonora convidou o produtor e músico Guilherme Kastrup, apresentado à Natália pelo amigo Felipe Cordeiro. “Eu queria o disco produzido aqui em São Paulo, mas queria um som quente. O Guilherme, por ser baterista, trouxe essa característica para o álbum”, revela a cantora.

Nas temáticas que permeiam o disco, Natália explora a visão feminina do amor, que perpassa toda a obra. Entre as composições, destaca “Coração Sangrando”, de Dona Onete. “A Dona Onete é uma pessoa muito alegre. Ela ficou uma tarde me mostrando suas composições. Muitas músicas eram engraçadas. Escolhi a mais triste, uma música que dói. É um disco muito feminino. Isso está muito presente no disco. O amor nunca vai ficar fora de nenhum disco de ninguém, né?”

>> BAIXE O EP DE NATÁLIA MATOS

A cantora integra a nova geração de músicos com grande exposição depois do sucesso de Gaby Amarantos, Gang do Eletro, Felipe Cordeiro e Dona Onete, além da excursão de projetos como o Terruá Pará, que levou a nova música paraense Brasil afora. “Toda essa exposição do Pará deixou as coisas um pouco mais rápidas”, diz.  O show de lançamento de Natália Matos será nesta quinta-feira, 14 de agosto, em Belém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. “A Mulher do Fim do Mundo é a que vai permanecer”

    Uma das cantoras mais contundentes da atualidade, Elza Soares relembra capítulos importantes de sua carreira

  2. A Bahia metafórica de Rodrigo Campos

    Cantor e compositor paulista fala sobre seu segundo álbum, Bahia Fantástica

  3. Thiago França e a malandragem paulistana

    Novo álbum do saxofonista homenageia conto de João Antônio: Malagueta Perus e Bacanaço

  4. Do Pará a Berlim

    O cantor e compositor Felipe Cordeiro indica um filme, uma música e uma cidade

  5. Qual é a boa de hoje?

    Novo álbum do Passo Torto é uma das dicas das idealizadoras do site Uia Diário

  6. De volta à manada

    Com o novo disco, Cambaco, Vicente Barreto encerra hiato de dez anos sem gravar, com novos parceiros

  7. Bahia, samba e baião de dois

    Dicas de Cacá Machado vão do samba real de Rodrigo Campos ao ficcional de Paulo Lins

  8. Quase ricos e xaropes

    A estética minimalista d'Os Mulheres Negras

  9. “O sintetizador virou um parque de diversões”

    João Donato se une a nova geração de músicos e lança o disco "Donato Elétrico"

  10. “Antes, o brega era a pior coisa do mundo”

    Em novo álbum, Marco André critica repentina aceitação do gênero

      1. Elza Soares em A Mulher do Fim do Mundo

        Elza Soares apresenta o álbum A Mulher do Fim do Mundo no Auditório Ibirapuera

      2. Primeiro semestre em 18 discos

        Seleção contempla Passo Torto, Edi Rock, Andreia Dias, Wilson das Neves, Guilherme Arantes e Antonio Adolfo

      3. Sambando no trem

        O trem é um dos protagonistas das músicas de Moreira da Silva, Chico Buarque, Kiko Dinucci e Joyce

      4. O som que fez o som do Metá Metá

        Os músicos do Metá Metá - Kiko Dinucci, Juçara Marçal e Thiago França - indicam, cada um, cinco músicas que lhes ensinaram liberdades novas