//seções//notas

Abram alas que o cortejo vai passar

Urucum na Cara mistura elementos do congado e da música popular mineira contemporânea

texto Itamar Dantas

Grupo Urucum na Cara é representante da nova geração de músicos mineiros. Foto: divulgação.

O Urucum na Cara iniciou suas atividades em 1999, mas foi em 2012 que o grupo lançou seu primeiro disco, À Beira do Dia, em que explora a musicalidade do congado, misturando-a com elementos da música popular atual produzida em Belo Horizonte.

Para a pesquisa envolvida no álbum, convidaram dois orientadores: Sérgio Pererê, músico mineiro com experiência na tradicional festa popular; e Rafael Nassif, bacharel em música pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que levou elementos da música erudita para a pesquisa. “Em Belo Horizonte, existe uma infinidade de Guardas de Congado. Aqui, o Reinado de Nossa Senhora do Rosário é muito vivo, e depois da Semana Santa há festas praticamente em todos os fins de semana, em algum bairro da cidade. A ideia era, além de aprender mais sobre essa cultura, reformular o repertório do grupo. Por outro lado, fazemos parte de uma geração de músicos que têm produzido muita coisa nova, e queríamos entender um pouco mais sobre isso”, conta Leandro César, violonista e compositor.

Da experiência foram trazidos à tona elementos tradicionais da festa que não se prenderam unicamente aos aspectos musicais. Leandro conta que a culinária se tornou tema para a canção “Curiá”. “Em uma festa nos ‘Ciriacos’, fiquei muito impressionado com a cozinha. Em cada festa, as cozinheiras chegam a fazer quase uma tonelada de comida para todo mundo. Eu fiz a música e mostrei para o Pererê. Ele me contou que São Benedito é o guardião da cozinha e fez a letra meses depois”.

A nova formação conta com músicos jovens, na casa dos vinte e poucos anos, que, junto à pesquisa das raízes do Congado, também é influenciada pela nova geração de músicos da capital mineira. Quando vai falar da nova música popular produzida em Belo Horizonte, Leandro não economiza nas referências. “São vários! Quebrapedra, Alexandre Andrés, Graveola e o Lixo Polifônico, Gustavo Amaral, Rafael Martini, Rafael Macedo, Antônio Loureiro, Luiza Brina, César Lacerda, Capim Seco, Juliana Perdigão e muitos outros. Todos esses artistas estão no seu primeiro ou segundo disco; ainda temos uma forte barreira para romper no que diz respeito à divulgação, distribuição e circulação dessa música.”

O Urucum na Cara é formado pelos músicos Thiago Ribeiro (baixo e voz), Irene Bertachini (voz e flauta), Leandro César (violão, viola e voz), Paulo Fróis (bateria e percussão) e Christiano de Souza (percussão e voz). A marimba é conduzida, até então, por uma convidada especial, Natália Mitre. Para 2013, o quinteto já prepara um novo álbum, que começa a gravar em fevereiro, mantendo as características sonoras do primeiro trabalho, com suas percussões e as referências na cultura popular. O disco anterior, À Beira do Dia, pode ser baixado na íntegra no site do grupo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Deixe um comentário

*Campos obrigatórios. Seu e-mail nunca será publicado ou compartilhado.
Enviar comentário
  1. Muito além dos gêneros musicais

    Para o compositor e instrumentista Antonio Loureiro, a música não deve "parar no pedágio da generalização"

  2. “Não é um projeto de resgate!”

    Siba mistura lado elétrico e tradicional em nova proposta de show, Azougue Vapor

  3. O violino e o vibrafone

    Ricardo Herz (dir.) e Antonio Loureiro promovem encontro inusitado em disco

  4. “Os graves escutamos com o estômago”

    Em filme, animação e disco, Manu Maltez promove sua releitura do mito de Fausto

  5. “Sou a sacerdotisa que guia a cerimônia”

    Folclore e música contemporânea dão a tônica à carreira da cantora Titane

    1. Rumos Música Coletivo – Mujangué

      Terceiro ensaio do grupo de Antonio Loureiro, Arismar do Espírito Santo, Chico Correa, Tiago de Moura e Zé Jarina

    2. Cadê o Ovo, por Mujangué

      Quinteto formado pelo Rumos Coletivo canta "Cadê o ovo, mamãe, que a galinha botou?!"

      1. Especial Villa-Lobos

        Folclore e música popular inspiram obra do maestro que tem sua trajetória narrada por Leandro Carvalho

      2. Música latina

        Onze músicas latinas para requebrar